calor antonina

Desde a semana passada, Antonina – no litoral do Paraná – tem registrado temperaturas elevadas, com a sensação térmica ainda maior. Na terça-feira (18), por exemplo, a sensação térmica chegou a 81ºC, no momento em que a temperatura máxima era de 44,3ºC, por volta das 16h.

Apesar de os números chamarem a atenção, eles podem ser explicados por dois fatores combinados: temperatura e umidade elevadas. O meteorologista do Simepar Reinaldo Kneib explicou ao G1 que a sensação térmica é calculada por meio de uma fórmula que leva em consideração esses dois fatores.

Foi o que aconteceu em Antonina. Na sexta-feira (14), a sensação térmica foi de 64ºC, com os termômetros marcando 43ºC, e a umidade do ar em 49%. Como a temperatura e a umidade subiram para 44,3ºC e 75%, respectivamente, o resultado foi a elevação da sensação térmica para 81ºC.

Para esta quarta-feira (19), a previsão do Simepar é de que a temperatura máxima em Antonina seja de 40ºC, ou até superior. Portanto, a sensação térmica pode ficar elevada de novo. “Ali em Antonina, está muito quente e muito úmido, o que aumenta o desconforto”, pontuou o meteorologista.

O Simepar não mantém histórico de sensação térmica. Então, não foi informado se em outro momento já tinha sido registrada no estado uma sensação térmica igual ou maior do que a alcançada por Antonina na terça.

“A sensação é se a pessoa ficasse exposta ao sol. Além disso, não quer dizer que ficou todo o dia nesse índice. Foi em um momento do dia. Geralmente é à tarde, quando atinge a temperatura máxima e a umidade está elevada”, afirmou o meteorologista.

calor antonina

Ao explicar o incômodo que os moradores e turistas podem estar sentindo, o meteorologista enfatizou que, quanto mais alta a umidade do ar, a capacidade do ar acaba sendo menor para absorver a umidade.

Por Thais Kaniak, G1 PR — Curitiba